9 dicas para escolher a franquia certa para você

Segmento alimentício, de moda, de educação… Segundo uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), no último trimestre de 2018 as franquias movimentaram cerca de R$ 44,7 bilhões. Os dados indicam um crescimento 5 vezes maior do que a estimativa de aumento do PIB brasileiro para o período. A questão é: como escolher uma franquia certa para investir o seu dinheiro?

Antes de cair na tentação e decidir pela marca mais conhecida, cujo retorno de investimento supostamente é o mais rápido, você precisa ter calma e buscar as informações corretas para avaliar ponto a ponto os prós e os contras da futura parceria.

Existem alguns aspectos que podem deixar o processo de análise mais fácil. Considerar o seu perfil de franqueado, o orçamento disponível e a reputação da marca pode ser decisivo na hora de escolher a melhor franquia.

Quer saber mais sobre o assunto? Então acompanhe este texto e conheça 9 dicas para saber qual franquia tem grandes possibilidades de dar certo com você. Boa leitura!

1. Avalie o seu perfil de franqueado

Adquirir uma grande franquia não fica barato. Apesar do alto valor de investimento, é um ótimo negócio para quem quer empreender com menor risco, mais segurança e visando um retorno financeiro elevado.

Pensando nisso, muitos empreendedores acabam escolhendo aquelas que oferecem mais retorno financeiro, independentemente do ramo de atuação. Acontece que isso pode trazer desmotivação e até dificuldades de gestão se o franqueado não tiver a mínima afinidade com o negócio da franquia.

Para escolher a franquia certa para você, é fundamental conhecer o seu perfil e ter certeza que ele se alinha bem ao futuro negócio. É preciso ter habilidade para gerenciar os impasses inerentes a qualquer estabelecimento, e para isso você tem que saber com que está lidando. Nesse sentido, escolha um tipo de franquia que lhe satisfaça e realize as suas vontades pessoais e profissionais.

2. Leve em conta o orçamento disponível

Fazer parte de uma rede de franquias costuma ser a melhor opção para quem quer empreender com segurança e ainda tem medo de abrir sozinho seu próprio negócio. No entanto, é preciso considerar todos os gastos antes de adquirir uma franquia. O capital que você vai ter que dispor depende do porte da franquia, do modelo de negócio, da localização e principalmente da força que a marca tem no mercado.

As franquias têm diversos valores de investimento inicial, algumas até cobrando quantias bem acessíveis. Esses custos devem estar de acordo com o seu orçamento disponível. O valor divulgado pelas franquias geralmente contempla o suficiente para implantar todo o negócio, incluindo os custos com maquinário e móveis, reforma da instalação para o padrão da franquia, publicidade local, contratação de pessoal e outras despesas inerentes a cada negócio.

Além disso, é preciso ter uma reserva de capital de giro — valor adequado para sustentar os custos fixas do empreendimento até que ele comece a render um fluxo positivo — para se manter nos meses seguintes ou se o negócio não der certo. Pesquise também as taxas que serão cobradas no decorrer da parceria.

Nesse sentido, é recomendado que você tenha pelo menos 3 meses do valor do capital de giro reservado. Isso vai garantir que você faça um bom investimento e não passe aperto.

3. Considere a reputação da franquia

Antes de adquirir uma franquia, é importante que o franqueado conheça o histórico da empresa. Uma parte fundamental é saber as estatísticas de quantas franquias concedidas foram fechadas e o motivo — localização ruim, falta de capital de giro, administração insatisfatória etc. Dessa forma você poderá trabalhar com todas as variáveis e prever eventuais problemas.

A franquia ideal é aquela que tem uma marca consolidada e conhecida — ou pelo menos bem-aceita — pelos consumidores. Afinal, você como franqueado deve dar continuidade ao modelo de negócios já preestabelecido, e para isso deve contar com a boa reputação da empresa.

Sendo assim, busque informações sobre o que o público-alvo pensa sobre a marca e também pesquise dados sobre a saúde financeira da rede. Essa é uma das dicas principais de como escolher a franquia certa, pois é importante investir em um negócio que tenha boas perspectivas de crescimento.

4. Estude a viabilidade da região

Há negócios que, por mais que tenham marca consolidada, não conseguem se dar bem em determinadas regiões. Por exemplo: uma cidade muito pequena e com pouco desenvolvimento econômico não tem público suficiente para manter uma grande franquia.

Ocorre ainda de certos lugares simplesmente não terem o público-alvo que determinados segmentos atingem. Se a franquia que você pretende adquirir trabalha com cosméticos e roupas femininas, é preciso saber qual é o percentual de mulheres da região, a idade e as preferências do seu futuro consumidor.

Assim, deve-se buscar um ponto comercial localizado em uma região onde haja um grande fluxo do seu público-alvo. Não adianta ter uma franquia de grande porte com poucas visitas. Para escolher o local ideal, é preciso saber as respostas para algumas perguntas.

  • O preço do aluguel está de acordo com o seu orçamento?
  • Quais são as licenças necessárias para se instalar no local?
  • O volume do fluxo de pessoas na rua está de acordo com a necessidade do empreendimento?
  • O local é de fácil acesso para carros?
  • Há concorrentes instalados em locais próximos?

A partir dessas respostas você conseguirá traçar um perfil da região e decidir se aquela área está de acordo com as suas expectativas.

A questão é: quanto mais informações você reunir sobre a localidade e o mercado regional, melhor será para o seu negócio. Só não esqueça da importância de pesquisar sobre as perspectivas do seu estabelecimento individualmente, pois não adianta responsabilizar o franqueador por um trabalho que deve ser feito por você.

5. Leve em conta o suporte oferecido pelo franqueador

A maioria das pessoas que se interessa pela concessão de franquias age pensando na diminuição de riscos de insucesso. A falta de experiência do empreendedor ou mesmo os vícios que ele pode trazer na bagagem de outras empresas malsucedidas são substituídos pelas diretrizes experientes da franquia.

Estamos falando do melhor diferencial que abrir uma franquia tem! Um contrato de franquia pressupõe a transferência de todo o know-how. Isso quer dizer que você receberá as instruções adequadas para dar continuidade ao modelo de negócios, vendendo o mesmo produto, seguindo as normas padrão de produção, de atendimento, de investimento e até mesmo de comportamento diante das mais diversas situações.

Agora que você já sabe que é fundamental ter um bom suporte oferecido pelo franqueador, pesquise bastante sobre todo o apoio dado pela franquia do seu interesse. Esteja atento ao número e à qualidade das capacitações oferecidas, além do investimento feito em publicidade nacional.

Treinamento, modelo de gestão e padronização dos processos devem ser repassados pela franquia, de modo que o franqueado não tenha dúvidas. Quando ambos estão sintonizados, o negócio tende a se desenvolver e crescer.

6. Fique atento às tendências do mercado

O surgimento de tecnologias molda nossos hábitos de vida e fazem surgir tendências que podem ser aproveitadas para a construção de novos negócios. É importante estar atento aos movimentos do mercado e compreender de que forma é possível gerar valor nesse ambiente competitivo.

Um exemplo desses novos rumos é a economia colaborativa. Inexistente a até poucos anos atrás, esse modelo de negócios diminuiu barreiras de investimentos e tornou diversas áreas muito mais competitivas. Presente nos mais diversos ramos de atividade, o empreendedor que sabe como aplicá-la tem tido sucesso em suas ações.

7. Analise a COF da franquia

Circular de Oferta de Franquia, também conhecida pela sigla COF, é o documento redigido pelo franqueador, em que estão descritos todos os detalhes do negócio. É muito importante, portanto, que o potencial franqueado leia-a com muita atenção.

Uma dica é solicitar apoio de um advogado para esclarecer os pontos nos quais surgirem dúvidas ou contratar empresas especializadas na consultoria para a aquisição de franquias.

É preciso analisar todas as obrigações e os direitos dispostos na COF. Vejamos os mais importantes deles a seguir.

Limites de território

O conteúdo da COF traz os limites de território de atuação de cada unidade. A franqueadora deve indicar se há preferência ou exclusividade sobre os pontos. Os limites da operação podem ser de um pequeno quiosque até regiões inteiras dentro de uma cidade, de um estado ou de um país.

Saúde da franquia

É obrigatório ao franqueador disponibilizar todos os dados econômicos financeiros da franquia para que o franqueado saiba da solidez da empresa. É preciso haver uma descrição das pendências jurídicas, do quadro societário, das dívidas e do balanço financeiro.

Taxas fixas e variáveis

Não basta apenas pagar o valor inicial cobrado pelas franquias. Na maioria delas, também é preciso repassar porcentagem do faturamento e arcar com taxas periódicas, como Royalties e Fundo de Propaganda.

Prazo do contrato

Antes de comprar uma franquia, é preciso planejar em quanto tempo ela vai possibilitar a recuperação do dinheiro investido e se vai gerar o retorno esperado. Os contratos de franquia têm prazos que não podem ser menores do que esse retorno. Por isso, faça os estudos financeiros adequados.

Normalmente, é recomendado que o contrato não seja menor do que 5 anos, mas esse número pode variar conforme o tipo de franquia e o valor da aplicação.

8. Entre em contato com outros franqueados

A COF também disponibiliza uma lista de todos os franqueados atuais e dos ex-franqueados cuja parceria tenha sido encerrada nos últimos 12 meses. Essa relação é uma fonte de informações valiosa para quem quer conhecer, de fato, o dia a dia da relação com a franqueadora. Nesse contato, confirme informações como:

  • suporte disponibilizado;
  • lucratividade;
  • satisfação do empreendedor;
  • promessas cumpridas pelo franqueador;
  • surpresas boas e ruins do negócio;
  • aceitação da marca;
  • motivo de não estarem mais com a rede (no caso dos ex-franqueados).

Caso verifique pontos confusos na relação de outros franqueados com a franquia, procure esclarecê-los com a rede antes de fechar o negócio. O momento das negociações antes de assinar o contrato vai servir para você ouvir o contraponto e decidir se realmente vale a pena continuar a negociação para efetivar a parceria.

9. Conheça as novas tendências de franquias

Diante de tantas possibilidades, fica difícil escolher uma franquia — seja pelo segmento, seja pela marca. Apesar do crescimento do mercado de franquias estar em alta, ainda há muito o que explorar, pois apenas 45% dos municípios de todo o Brasil têm franquias.

Como vimos, é importante que o seu perfil e as suas habilidades estejam alinhados aos serviços e produtos que serão vendidos pela franquia que você adquirir. Quando trabalhamos com algo que gostamos e sabemos, as chances do negócio dar certo são muito maiores. No entanto, também é importante levar em conta os setores que estão sendo mais valorizados no mercado e aqueles em expansão para não correr riscos. Vejamos algumas tendências de franquia em alta.

Alimentação

Apesar de ser o ramo de franquias mais antigo do mundo, com empresas famosas representando-o — como McDonald’s, Burger King e Subway —, ainda é um modelo de negócios de franquias mais vendido no mundo inteiro. A produção é toda padronizada e chama atenção por precisar de pouco conhecimento na área.

Construção civil

Segundo a ABF, o setor de franquias de construção civil teve o terceiro melhor desempenho, crescendo mais de 11% em 2018 — no ano de 2017, mesmo com o país ainda em crise financeira, houve um aumento de 8%. Isso ocorre principalmente devido ao aumento do número de reformas, manutenções e adaptações nos imóveis do país.

Além disso, há um aumento no investimento em infraestrutura pelos governos — que fecham parcerias público-privadas —, a facilidade na aquisição de créditos e financiamento para comprar a própria casa, a desburocratização e a segurança do setor, e principalmente o alto retorno que uma franquia no ramo de construção civil oferece.

É possível encontrar variados tipos de franquias nesse segmento, algumas com um custo inicial de investimento bem menor, trabalhando com produtos no varejo — como materiais de construção, equipamentos de consertos, acabamentos, pinturas, madeiras e outros.

Apesar de ser um setor que exige prévio conhecimento técnico na área, um planejamento bem elaborado e o suporte de uma franquia viabilizam o negócio.

Você já sabe como escolher uma franquia certa? É preciso estar atento a diversos fatores para encontrar o modelo de negócios perfeito para o seu empreendimento. Escolher uma atividade que esteja de acordo com o seu perfil é o primeiro passo.

Em seguida, reúna informações que ajudem você a montar um plano detalhado de operação: orçamento disponível, investimento necessário, localização ideal e reputação do parceiro. Por fim, estude atentamente a proposta e confronte-a com a experiência de quem já foi ou ainda é franqueado. Ao seguir esse caminho, o sonho de manter uma franquia estará mais próximo de ser efetivado.

Agora que você já sabe o que avaliar e como escolher uma franquia, entre em contato conosco! A Casa do Construtor já conta com mais de 260 lojas distribuídas por todo o Brasil. Seja você o próximo!