Como investir em uma franquia (e ter sucesso)?

Chegou o momento de ter o seu próprio negócio. Após algumas pesquisas, você encontrou o sistema de franquias.

como investir em uma franquia

E investir em franquias é algo conhecido por proporcionar mais segurança aos empreendedores apresenta inúmeras vantagens.

A principal delas, certamente, é a possibilidade de utilizar uma marca testada, aprovada e consolidada. O empresário que decide se tornar um franqueado adquire a licença de uso de um negócio já pronto.

Ou seja, ele poderá comercializar os produtos e/ou serviços da marca utilizando estruturas e rotinas previamente desenvolvidas pelo franqueador. É um negócio interessante para todos os envolvidos.

Do ponto de vista do franqueador, é uma ótima oportunidade de expandir seus negócios. Para o consumidor também é bom, pois pode encontrar a marca que aprecia em diversos lugares, com mais facilidade.

O faturamento do setor de Franchising no 3º trimestre de 2017 demonstrou, na prática, o quanto esse modelo de negócio tem funcionado no Brasil. Foram ao todo R$ 41,8 bilhões recebidos, 7,8% a mais que o mesmo período em 2016. Os dados são do último relatório publicado pela ABF, Associação Brasileira de Franchising.

Ainda segundo a ABF, 19 das 30 cidades brasileiras com maior número de franquias são capitais (67,7%). Já entre as 10 cidades com maior número de franquias em unidades, somente Campinas não é uma capital.

Esse panorama também mostra que os segmentos que mais cresceram em comparação ao mesmo período em 2016 foram: Entretenimento e Lazer (13,1%), Comunicação, Informática e Eletrônicos (12,7%), Serviços e outros negócios (9,7%), Serviços educacionais (9,7%), Casa e Construção (9,2%) e Saúde, Beleza e Bem Estar (9,2%).

As taxas de mortalidade das franquias também são menores se comparadas aos negócios próprios. De acordo com pesquisa conduzida pela Rizzo Franchise, investir em uma franquia é realmente mais seguro.

Isso porque, segundo último balanço semestral divulgado em 2016, o percentual de franquias fechadas em 2015 foi de 6%. Por outro lado, conforme estudo disponibilizado pelo IBGE em 2014, a taxa de mortalidade de empresas com até 2 anos é de 23,4%.

Essa boa perspectiva se deve ao fato do novo empreendedor encontrar no franchising mais apoio em todas as áreas do negócio, inclusive naquelas com as quais tem pouca ou nenhuma experiência.

Com mix de produtos, estratégias de marketing, de comunicação, operacional e comercial definidas, as chances de sucesso aumentam significativamente. Mas, atenção: todas as facilidades não significam menos trabalho.

O desafio de manter um negócio competitivo e lucrativo permanece e, geralmente, é acompanhado de perto pelo franqueador, através de relatórios de desempenho e performance.

Mas, por onde começar? Para investir em uma franquia (e ter sucesso) diversos fatores precisam ser analisados. Pensando em todas as dúvidas que podem surgir ao longo dessa jornada, elaboramos um guia completo com o passo-a-passo para fazer da maneira certa.

Está preparado? Confira!

1. Conheça o seu perfil de empreendedor

Fazer uma autoanálise é fundamental antes de tomar qualquer decisão. Ao empreender, não é diferente. Comece refletindo sobre as suas características (pontes fortes e fracos) para entender o quanto e de que maneira poderá se dedicar ao negócio.

Avalie também o tempo que tem disponível para  trabalhar nas operações da empresa diariamente. Depois, liste os segmentos de mercado com os quais tem afinidade. Essa afinidade é muito importante, pois vai garantir a motivação para seguir em frente. Procure não fazer sua escolha apenas considerando modismos ou possíveis lucros.

Uma franquia, ainda que já tenha um modelo de negócio construído, demandará sua presença e capacidade de decisão em diversos momentos. Por isso, nada melhor do que estar à frente de produtos e serviços que lhe interessem, não é mesmo?

2. Obtenha mais informações a respeito das franquias

Uma vez definido o segmento de interesse do investidor, é hora de conhecer melhor as marcas disponíveis e seus respectivos modelos de negócio. As possibilidades são inúmeras. Um dos critérios que pode ajudar você nessa seleção inicial é sua capacidade de investimento.

Aquelas que estão acima do seu budget, já podem ser descartadas. Em seguida, veja quais demandam alguma habilitação específica ou mesmo dedicação exclusiva e desconsidere aquelas que não se adequarem à sua realidade.

Depois, observe se as opções que restaram estão disponíveis na região que você deseja atuar e verifique junto aos franqueadores se existe algum plano de expansão naquela área. Em muitos casos a rede pode já ter realizado previamente algum estudo de geolocalização e ter informações precisas quanto à viabilidade de uma nova loja em endereços específicos.

Por outro lado, há marcas que deixam essa escolha por conta do investidor. De qualquer maneira, tenha sempre em mente que é melhor buscar um bom ponto para um bom negócio do que o contrário.

Aproveite também para visitar outras unidades das franquias que você gostou. Comporte-se como cliente e viva a experiência completa para entender toda operação, logística e apontar possíveis melhorias aos produtos e/ou serviços oferecidos.

3. Escolha a franquia ideal

escolha a franquia ideal

Nesta etapa, provavelmente você já tem algumas marcas pré-selecionadas. Como escolher a ideal para o seu perfil? Elaboramos a lista abaixo, com as principais características que devem ser consideradas antes da sua decisão. São elas:

3.1. Investimentos necessários

Quanto você pode investir? Com certeza você já se fez essa pergunta logo no início do processo, mas é nessa etapa que ela será respondida de maneira mais realista e detalhada.

Dentro do segmento escolhido existem franquias com os mais variados custos. Contudo, investir em uma franquia exige um amplo planejamento financeiro, que vai muito além do valor inicial solicitado pelo franqueador.

Além do capital para começar o negócio, é fundamental saber qual o capital de giro necessário para sua manutenção. Ele garantirá o cumprimento de todos os compromissos da franquia até que seja possível realizar retiradas sem descapitalizá-la.

Especialistas recomendam a previsão de uma reserva financeira para cobrir ao menos seis meses de operação da empresa, sem contar com os lucros. Além disso, não se esqueça de verificar os valores referentes às taxas de royalties, fundos de propaganda e outras.

Os royalties abrangem a remuneração paga pelo franqueado pelo uso da marca e serviços prestados pelo franqueador, que geralmente consiste em um percentual sobre o faturamento bruto. Já os fundos de propaganda pagam os custos de produção das peças publicitárias e demais ações para divulgação da marca no ponto de venda.

3.2. Histórico e reconhecimento da marca

Conforme escolher algumas franquias, descubra há quanto tempo elas estão no mercado e quais fatos marcantes aconteceram ao longo desse período. É provável que elas tenham crescido, mas o quão considerável foi esse crescimento?

Avalie também qual o reconhecimento de cada uma em seu respectivo ramo de atuação e faça uma análise detalhada das concorrentes diretas e indiretas.

Se possível, procure pesquisas realizadas por associações e institutos especializados, que além de terem credibilidade, costumam oferecer dados financeiros relevantes para embasar sua decisão.

3.3. Lucratividade, rentabilidade e tempo de retorno

Ao comprar uma franquia você está realizando um investimento. Sendo assim, cabe comparar sua rentabilidade às demais opções disponíveis no mercado. Lembrando que essa compra geralmente é firmada através de um contrato, que possui um prazo a ser estabelecido entre as partes.

Nesse aspecto compara-se a compra de uma franquia a um investimento de longo prazo. De maneira geral, o tempo médio de retorno varia entre 24 e 36 meses, já que estamos falando de marca e produtos já conhecidos.

Informe-se e se optar pelo modelo de franchising para aportar seus recursos, solicite às marcas que mais lhe interessarem dados que lhe permitam calcular lucratividade e rentabilidade.

Muitas delas, inclusive, já disponibilizam essas informações diretamente. Do ponto de vista financeiro, a melhor franquia seria aquela cujo investimento inicial fosse o menor possível, com o prazo de retorno mais curto e os índices de rentabilidade e lucratividade mais altos.

Certamente será difícil encontrar todas essas qualidades em uma única rede. Sendo assim, priorize o que lhe for mais importante.

3.4. Suporte ao franqueado e nível de satisfação

suporte ao franqueado é um dos principais atrativos das franquias. Contar, não apenas com as tecnologias de implantação e administração do negócio, mas com a experiência do franqueador, aumenta e muito as chances da nova franquia prosperar.

Esse suporte ao franqueado pode abranger desde o básico, como o auxílio pré-operacional (antes da inauguração da franquia), treinamentos, apoio na operação, consultoria de campo, até diferenciais, como estratégias de marketing local, questões jurídicas, etc. Vale também considerar o nível de satisfação dos franqueados.

Para auxiliar nessa avaliação, a ABF criou um selo de excelência. Para receber o selo, as redes franqueadoras fazem uma inscrição e participam de uma pesquisa que as avalia considerando questões financeiras, de marketing, comunicação e opiniões de franqueados. Esse levantamento é feito anualmente.

3.5. Aspectos financeiros e legais da franquia

É um direito do empreendedor solicitar ao franqueador dados financeiros que comprovem a viabilidade financeira de sua franquia. Isso inclui, conforme a legislação (Lei nº 8955/94), os balanços dos dois últimos exercícios, além da COF, Circular de Oferta de Franquia. A COF deve ser entregue até dez dias antes do candidato assinar o pré-contrato, contrato ou pagar qualquer taxa.

É um documento dinâmico, constantemente atualizado, no qual é possível encontrar a relação completa de todos os franqueados e ex-franqueados dos últimos doze meses de funcionamento da empresa.

Não se esqueça também de avaliar a regularidade fiscal e tributária da empresa, através das certidões negativas federal, estadual e municipal em que está situada a sede da franqueadora. Por fim, considere as referências comerciais.

Consulte com fornecedores se há algum registro de inadimplência de produtos e serviços adquiridos. Aproveite todas as informações disponíveis na COF para esclarecer  suas dúvidas, mas tenha em mente que os dados ali disponíveis são confidenciais.

4. Participe da pré-qualificação

Escolheu a franquia? O próximo passo é demonstrar interesse. Geralmente o próprio site da empresa tem um espaço para realização de cadastro de candidatos a franqueados.

Existem também diversas feiras específicas do setor, onde é possível, em uma única ocasião, conhecer inúmeras opções de franquias e se cadastrar. Feito isso, os franqueadores entrarão em contato com você para checar sua capacidade de investimento, passar mais informações sobre o negócio e lhe informar sobre processo seletivo.

Cada empresa tem um processo seletivo distinto que, em geral, abrange apresentação, entrevistas e análise de perfil. Caso você ainda não tenha decidido a melhor franquia para você nesta etapa, aproveite para fazer suas últimas comparações, sanar as dúvidas restantes e consultar especialistas no assunto.

5. Assine o contrato

Após o fim do processo seletivo e análise minuciosa da COF, você já está apto para a assinatura do contrato e compra da franquia. Procure um advogado para conduzir esta etapa da maneira mais segura e só a realize caso esteja realmente certo de sua escolha.

Se necessário, conte também com consultorias especializadas na área, mas certifique-se de que sejam totalmente imparciais e não tenham relacionamento com a franquia de sua escolha.

Como você pôde perceber, adquirir uma franquia pode ser um excelente investimento. Os desafios ao longo do caminho serão muitos, pois gerenciar qualquer modelo de empresa inclui uma série de responsabilidades.

Procure organizar suas atividades, controlando diariamente questões financeiras, de infraestrutura, e pessoal. Esse trabalho será mais fácil com ajuda de uma equipe de confiança, dotada de conhecimento técnico, proatividade e autonomia na tomada de decisões.

Aproveite também a troca de experiências com o franqueador e outros franqueados. Esse formato de gestão compartilhada é uma tendência e pode facilitar e muito a solução de problemas, ao buscar soluções com quem entende do assunto.

Foi seguindo esse raciocínio e uma fórmula de sucesso que a Franquia Casa do Construtor expandiu. Começou como uma modesta loja de materiais de construção e foi pioneira ao elaborar o primeiro modelo de franquia especializada na locação de máquinas e equipamentos de pequeno porte para a construção civil.

Hoje já conta com mais de 200 unidades espalhadas por quase todos os estados brasileiros e está entre as 25 melhores franquias do  Brasil em 2017, segundo levantamento realizado pelo Grupo Bittencourt, divulgado pela Revista Exame.

Gostou das dicas de como investir em uma franquia? Quer dar um passo a mais e empreender no ramo? Entre em contato conosco e te ajudaremos a ser um franqueado!