Franqueador e franqueado: saiba qual é o papel de cada um

Os consumidores buscam as franquias pela referência de qualidade e serviços prestados. De modo a assegurar o padrão proposto, o modelo de negócios de franchising adota papéis bem definidos para franqueador e franqueado.

franqueador e franqeuado saiba o papel de cada um

Você conhece os direitos e deveres de cada um? Acompanhe a publicação para compreender melhor o tema.

Franquia ou franqueador

As franquias apresentam padrões, metodologias e sistemáticas que devem ser seguidas pelos franqueados, o que mantém a imagem da empresa. Primeiramente, antes de tornar-se franquia, o empreendimento deve ser testado, sistematizado e organizado.

Sendo assim, algumas das responsabilidades do franqueador são:

  • elaborar o modelo de negócios de acordo com a área de atuação;
  • normatizar procedimentos, políticas e padrões a adotar na empresa;
  • selecionar os franqueados, considerando perfis que se adaptem às características da empresa;
  • proporcionar suporte e treinamento aos investidores;
  • testar o plano de negócios, bem como possíveis mudanças em unidades-piloto;
  • prestar assessoria aos franqueados;
  • monitorar o desempenho dos franqueados de forma qualitativa e quantitativa;
  • propagar práticas e procedimentos que possam otimizar o resultado dos franqueados;
  • avaliar e escolher o empresário que será franqueado, sendo que a postura deve ser coerente com a política da empresa;
  • possibilitar a interação entre franqueados, com objetivo de atualizar e aproveitar as experiências vividas.

Em outras palavras, a empresa franqueadora é responsável por transmitir o know how adquirido e verificar as atividades exercidas pelos franqueados. Essas ações devem ser bem administradas, uma vez que a imagem da franquia na totalidade será impactada pelas ações gerenciais de responsabilidade da franqueadora.

Franqueado

Ao iniciar a parceria com a empresa franqueadora, é importante que o franqueado se identifique com a política da companhia e esteja disposto a seguir as diretrizes estabelecidas. Ao escolher o modelo de franquias, o investidor terá direito ao uso da marca, porém, estará sujeito ao modelo de negócios e posturas já testados pela franquia.

Nesse contexto, vamos conhecer melhor o papel do franqueado:

  • investir na implantação da sua unidade;
  • seguir os padrões determinados pelo franqueador;
  • pagar as taxas, royalties e valores de marketing;
  • adquirir matérias-primas dos fornecedores registrados pela franquia;
  • gerir sua unidade, aquisição de mercadorias, contratação e manutenção de funcionários;
  • manutenção e limpeza adequada dos equipamentos e infraestrutura;
  • auxiliar a rede de franqueados, compartilhar as experiências e demonstrar seus resultados de forma colaborativa;
  • monitorar e acompanhar sua equipe;
  • estabelecer e acompanhar o relacionamento com o consumidor.

O investidor terá sua liberdade de escolha atrelada aos padrões estabelecidos pela rede de franquias, e seu poder de decisão, em muitos casos, depende de uma aprovação da própria rede. Por outro lado, a aquisição de uma marca já consolidada no mercado adianta várias etapas iniciais da implantação de um empreendimento.

Conforme vimos, cada qual tem sua forma de atuação nesse perfil de negócio. Cabe ao franqueado usufruir do know how fornecido pela rede e manter um bom relacionamento com os clientes. E, ao franqueador, manter os processos e sistemas da franquia de forma ordenada, a fim de possibilitar o crescimento de seus franqueados e, consequentemente, da rede como um todo.

E então, gostou do post? Quer conhecer mais sobre o universo das franquias e como adquirir uma? Baixe nosso e-book sobre o assunto!