Onde investir meu dinheiro? 5 dicas para escolher o investimento correto

“Onde investir meu dinheiro?” Essa é a pergunta feita sempre que recebemos um recurso extra, pois procuramos a melhor forma de empregá-lo, para que ele possa nos trazer bons retornos. Entretanto, muitas pessoas encontram dificuldade exatamente por não saberem como gerar novas receitas, seja pela falta de conhecimento ou pela ausência de um perfil de investidor.

Portanto, se você acha um desafio fazer o seu dinheiro render mais, não se preocupe. Este post foi pensado para mostrar algumas boas dicas de investimento. Continue a leitura e conheça 5 estratégias para aplicar o seu capital financeiro. Boa leitura!

1. Fundos imobiliários

Os fundos imobiliários são excelentes alternativas para quem deseja gerar uma renda extra. Com a procura cada vez maior por moradias bem localizadas, uma casa ou apartamento escolhido com cuidado pode representar um excelente retorno. É possível obter lucro a partir da distribuição de rendimentos referentes ao pagamento de aluguéis, da valorização das cotas negociadas na bolsa de valores ou da venda dos imóveis.

Os ganhos obtidos são isentos da cobrança de impostos — no caso da distribuição de rendimentos — para pessoa física quando as cotas são negociadas na bolsa, com pelo menos 50 cotistas e se o beneficiado possuir pelo menos 10% das frações. Apesar disso, o proprietário pode ter dificuldades em encontrar um comprador ou um inquilino, caso o imóvel passe a desvalorizar.

Ainda que muito raro, esse tipo de situação pode acontecer, especialmente quando algo afeta o empreendimento, seja pelo aumento da violência ou da falta de investimento em infraestrutura no bairro em que está localizado. Além disso, as cotas podem ou não valorizar, variando de acordo com a demanda de oferta e procura.

2. Mercado financeiro

As formas mais comuns de aplicar dinheiro estão no mercado financeiro, que oferece inúmeras opções aos interessados. De modo geral, as alternativas disponíveis estão separadas em dois grandes grupos: os investimentos de renda fixa e os de renda variável.

Indicado para os investidores com perfil mais conservador, na renda fixa é possível dimensionar os ganhos no final do contrato. Os melhores exemplos nesse setor são o Tesouro Direto, os CDBs (Certificados de Depósito Bancário), as LCAs (Letras de Crédito do Agronegócio) e LCI (Letras de Crédito Imobiliário). Esses investimentos são seguros, mas oferecem rendimentos menores.

De modo simplificado, nesse tipo de aplicação, o investidor empresta dinheiro para o Governo, instituição financeira ou empresa privada detentora do papel. Dessa forma, o rendimento é proveniente das taxas de juros e/ou da correção monetária e amortizações.

Do outro lado, estão os investimentos em renda variável, onde o investidor não consegue estabelecer quais serão os seus ganhos. Como exemplos, podemos citar as ações, as negociações de câmbio e os fundos de investimento. Ao mesmo tempo em que podem dar retornos maiores, os riscos envolvidos são bem grandes.

Seja qual for a opção, é importante elaborar um planejamento financeiro, definindo uma meta. Além disso, procure diversificar as formas de investimento e fugir daqueles pouco rentáveis, como a poupança, que apesar de ser muito popular entre os brasileiros, proporciona pouco rendimento. Por fim, informe-se para arcar com os custos exigidos pelos bancos e corretoras.

3. Tesouro Direto

Com rendimentos superiores à poupança, o Tesouro Direto é uma aplicação muito buscada por investidores, principalmente por não oferecer grandes riscos. Como dito, esse tipo de investimento é uma espécie de empréstimo ao Governo Federal em troca de um título acrescido de juros — da mesma forma como acontece na renda fixa.

Assim como em outros segmentos, investir no Tesouro Direto também apresenta vantagens e desvantagens. O principal benefício é contar com um título emitido por órgãos federais e a possibilidade de investimento a partir de R$ 100,00.

Por outro lado, é indispensável compreender como funcionam os títulos públicos, quais são os índices praticados pelo Tesouro, como superar a parte burocrática do investimento e escolher a modalidade que mais se adéqua ao seu perfil e objetivo.

4. Fundos de ações

Se deseja aplicar recursos na bolsa de valores sem a necessidade de comprar, diretamente, ações privadas, essa é uma excelente alternativa. A aplicação consiste na compra de cotas de ativos de rendas variáveis junto a um gestor, que executará estratégias preestabelecidas. Os fundos de investimento contam com a participação de outros cotistas, sendo que a distribuição dos custos e rendimentos é feita igualmente para cada participante.

Embora seja seguro, alguns fundos de ações são de risco elevado ou têm um rendimento pouco atrativo. Nesse caso, exige-se do investidor um alto nível de conhecimento sobre o mercado e capacidade de avaliação, para determinar quando é ou não vantajoso adquirir uma determinada cota. Entretanto, essas cotas podem ser resgatadas a qualquer momento, desde que pagas todas as taxas e tributos.

5. Franquias

Por fim, se você deseja utilizar os recursos extras para um negócio próprio, é importante considerar as franquias como uma excelente alternativa. Ao escolher uma marca já consolidada e testada no mercado de franchising, por exemplo, as chances de gerar bons ganhos é ainda maior. Porém, para ser bem-sucedido nesse setor, é preciso pensar em algumas questões que vão ajudá-lo a escolher o melhor ramo de negócio.

Em outras palavras, procure uma área de atuação com a qual você tenha afinidade, e não baseie sua decisão apenas pelos números de faturamento. Pesquise sobre o histórico da marca que deseja apostar. Analise o valor inicial necessário bem como as perspectivas de faturamento médio, além do suporte que você terá ao longo de todos os processos como franqueado.

Quem opta por esse modelo de negócio enfrenta desafios como qualquer outro empreendedor. Porém, com planejamento e organização, as franquias podem ser um investimento de sucesso. Afinal, trata-se de negócios maduros, com boa aceitação do mercado e o know how necessário para tornar o negócio altamente lucrativo.

Responder a questão “onde investir meu dinheiro” não é uma tarefa fácil. Vale lembrar que toda decisão que envolve o recebimento e aplicação de dinheiro conquistado arduamente acaba gerando inúmeras dúvidas. Por essa razão, vários aspectos devem ser pesados e, por isso, uma decisão deve ser sempre tomada com bastante calma!

No caso da franquia, é ideal que ela se adapte ao perfil e estilo de vida do investidor. Sendo assim, se esse é o seu desejo, continue estudando sobre o mercado. Confira as dicas que trouxemos em nosso artigo e descubra como investir no setor de franquias sem erros. Vamos lá?