Tudo que você precisa saber sobre franquias

Você, provavelmente, já ouviu falar em franquia. Essa opção de investimento, cada vez mais representativa para a economia do Brasil, está em alta e os motivos são inúmeros.

tudo o que você precisa saber sobre franquias

O principal deles, certamente, é a maior segurança que o investidor tem ao adquirir esse tipo de empresa, já que poderá utilizar um modelo de negócio pronto e aprovado pelo mercado.

Quando bem administradas, as franquias têm tudo para dar certo. Segundo o último relatório publicado pela ABF (Associação Brasileira de Franchising), o faturamento das franquias no 3º trimestre de 2017 foi de R$ 41,8 bilhões, ou seja, 7,8% a mais que o mesmo período de 2016.

Quer saber mais sobre franquias? Confira, neste post, o conteúdo que elaboramos, com tudo que você precisa saber para começar agora mesmo a planejar o seu investimento em franchising. Boa leitura e bons negócios!

1. O que é uma franquia?

Franquia ou franchising empresarial é um modelo de negócio em que o franqueado compra do franqueador uma licença para poder utilizar sua marca, estruturas, know-how e direito de venda dos seus produtos e serviços. É uma forma de iniciar um negócio com menos incertezas, ao contar com a orientação de profissionais que já entendem do assunto.

2. Quais os principais tipos de franquia?

Existem alguns modelos de franquia que merecem destaque. Eles refletem os objetivos de expansão que o franqueador tem para o seu negócio, além do local de atuação, tipo de contrato e responsabilidades que pretende transferir ao novo dono da sua franquia. Explicamos melhor alguns a seguir. Confira!

  • Franquia unitária — Quando o franqueado tem o direito de abrir, de maneira exclusiva e em local predefinido pelo franqueador, uma unidade do negócio. Posteriormente, pode ganhar o direito de adquirir outras franquias unitárias, dependendo dos planos do dono da rede e o desempenho obtido até então.
  • Franquia master — Os franqueadores costumam optar por esse modelo em países de grande extensão geográfica, como o Brasil, ou quando pretendem levar a marca para território internacional. Nesse caso, o master franqueado, ou subfranqueador, assina um contrato que permite implantar ou terceirizar outras unidades da franquia em um determinado local. Por essa responsabilidade e por ter que treinar e dar suporte a esses franqueados, ele receberá parte da taxa de franquia e dos royalties.
  • Franquia de desenvolvimento de área — Como o próprio nome sugere, nesse modelo o franqueado poderá abrir mais de uma unidade em uma determinada região, ao longo de um espaço de tempo. Há um contrato para o desenvolvimento da área e para cada nova unidade aberta. Além disso, o franqueado responsável poderá vender unidades nesse local, podendo receber parte do valor da taxa de franquia e dos royalties. As regras são definidas pelo franqueador.
  • Outro modelo que agrada quem procura um negócio com baixo valor de investimento é a microfranquia. Geralmente, o valor inicial não passa de R$ 80 mil, o custo operacional é reduzido e o próprio franqueado dá conta das atividades, que podem ser realizadas na casa dele ou diretamente na casa do cliente (home based). É uma ótima opção para investidores iniciantes. Mas vale lembrar que o faturamento tende a ser proporcional ao valor investido.

Todas as franquias seguem os parâmetros da Lei nº 8.955, de 15 de dezembro de 1994, também chamada de Lei do Franchising. Ela é a base que garante a transparência na elaboração de contratos. Vale a pena conhecê-la antes de fechar qualquer negócio.

3. Termos que você precisa conhecer ao administrar uma franquia

No mundo das franquias, é comum encontrar termos bastante específicos. Além da definição de “franqueador” e “franqueado”, que você conhecerá no próximo tópico, selecionamos alguns a seguir.

  • COF (Circular de Oferta de Franquia) — Documento constantemente atualizado, por meio do qual o franqueador fornece aos interessados as informações legais, comerciais e financeiras do negócio. Nele, é possível encontrar, por exemplo, a relação completa de todos os franqueados e ex-franqueados nos últimos 12 meses, além dos direitos e obrigações de cada parte na franquia. Sua entrega é obrigatória e deve acontecer pelo menos 10 dias antes da assinatura de qualquer contrato, pré-contrato ou pagamento de taxa.
  • Conselho de franqueados — Grupo constituído pelo franqueador e alguns franqueados, formando um conselho para definir questões administrativas e relacionados ao fundo de propaganda.
  • Contrato de franquia — Documento que faz parte da COF e contém todas as informações legais sobre a relação entre a franqueadora e os franqueados.
  • Know-how — Conjunto de conhecimentos, técnicas e tecnologias que uma pessoa ou empresa detém e que garante vantagens competitivas.
  • Pré-contrato de franquia — Utilizado por algumas empresas, antes do fechamento efetivo do negócio, para permitir ao franqueado um teste ou mesmo a reserva de determinado local em que pretende implantar nova unidade.
  • Store in store — Formato de negócio em que a franquia funciona dentro de outra loja ou mesmo divide espaço com ela. É indicado para a redução de custos e aproveitar o fluxo de pessoas que frequentam o local.
  • Taxa de royalties — Taxa paga mensalmente pelo franqueado à franqueadora. Geralmente, é um percentual do seu faturamento bruto, pelo uso contínuo da marca, know-how e todos os demais benefícios e serviços fornecidos pelo franqueador.
  • Taxa de franquia — Quantia paga inicialmente pelo franqueado à franqueadora a fim de adquirir uma das suas unidades e utilizar a marca e o know-how do negócio.
  • Taxa de marketing — Também chamada de “fundo de propaganda”, corresponde ao valor cobrado para a empresa arcar com os custos das ações de divulgação da marca.
  • Tempo de retorno da franquia — Prazo, que geralmente varia de 24 a 36 meses, estabelecido pela empresa para o investidor rever o capital investido no negócio.

4. Quais as responsabilidades do franqueador e do franqueado?

O franqueador é o responsável pela empresa a ser franqueada, o detentor dos direitos da marca e de todas as técnicas que compõem o negócio. Já o franqueado é quem compra a franquia e, portanto, torna-se proprietário daquela unidade. Provavelmente, você encontrará também a palavra “franqueadora”, que, nesse caso, se refere à empresa, enquanto “franqueador” se refere à pessoa.

O sucesso das franquias é resultado direto do bom relacionamento entre franqueadores e franqueados, já que ambos dependem um do outro. Os franqueadores precisam da dedicação e trabalho dos franqueados a fim de que seus negócios expandam, ganhem mais mercados e, consequentemente, mais lucro.

Os franqueados, por sua vez, aproveitam as dicas dos donos das franquias a fim de empreender de maneira mais rentável e conseguir retorno do valor investido. Para que fique mais claro o papel de cada parte, listamos a seguir suas respectivas responsabilidades.

Ao franqueador cabe:

  • desenvolver o negócio que será franqueado, incluindo todas as normas, políticas, técnicas e padrões;
  • auxiliar o franqueado em todas as etapas de implantação do negócio;
  • oferecer capacitação ao franqueado e treinamentos, de preferência periódicos, a toda a equipe;
  • proporcionar meios de integração entre os membros de cada franquia, o que abrange plataformas online, eventos ou qualquer forma de fortalecer a comunicação interna;
  • acompanhar o desempenho e o cumprimento de padrões das franquias, mantendo a unicidade do mix de produtos oferecido pela marca;
  • assessorar e orientar os franqueados, informando quanto aos próximos passos do plano de ação e práticas que possam melhorar seus resultados, mantendo-os sempre motivados.

Ao franqueado cabe:

  • atentar-se às normas, políticas, técnicas e padrões ao longo da implantação, do funcionamento e gestão da franquia adquirida, zelando pela imagem da marca e a qualidade da produção;
  • manter o compromisso de investimento firmado com o franqueador, de forma a garantir os recursos necessários a fim de manter a unidade adquirida funcionando dentro dos padrões de qualidade por ele exigidos;
  • cooperar com o franqueador e todos os franqueados na busca de soluções e criação de diferenciais competitivos;
  • buscar o cumprimento das metas previstas pelo franqueador, mantendo a saúde financeira da sua unidade;
  • oferecer somente os produtos e serviços que fazem parte do mix da marca franqueada;
  • consultar sempre o franqueador antes de realizar qualquer ação ou procedimento diferentes do previsto;
  • acompanhar seu negócio de perto, buscando excelência no atendimento ao cliente, na qualidade dos produtos e serviços oferecidos, sempre procurando aprimorar-se e motivar os funcionários.

5. Como escolher uma franquia?

como escolher uma franquia

Agora, que você já conhece um pouco melhor as características desse tipo de negócio, vamos à parte prática: a escolha da franquia ideal para o seu perfil. Para começar, calcule qual a sua capacidade de investimento.

Existem franquias com os mais variados custos iniciais e de manutenção. Seja realista e lembre-se que, além do valor para começar o negócio, você precisará de um capital de giro, ou seja, uma reserva financeira que garanta a operação da unidade enquanto ainda não for possível realizar retiradas. Considere também as outras taxas (royalties e fundo de propaganda).

A próxima etapa é, certamente, a mais importante: conheça o seu perfil empreendedor. Escolha um negócio com o qual você tenha afinidade. Não se prenda à moda, pois ela passa e não necessariamente é garantia de sucesso. Trabalhar com aquilo que você gosta é garantia de motivação, fundamental para atingir qualquer objetivo, pessoal e profissional.

Uma vez escolhido o segmento de atuação, comece a colher informações sobre as franquias disponíveis no mercado. Pesquise sobre o histórico, o reconhecimento da marca, seus produtos e serviços, sua concorrência e regiões em que está presente. Se possível, visite alguma unidade e vivencie a experiência do cliente. É importante que você aprove os produtos e serviços que pretende vender e se identifique com os valores defendidos pela marca.

Em seguida, analise os dados relativos à lucratividade, rentabilidade e tempo de retorno das franquias. Você está realizando um investimento e, portanto, é imprescindível saber em quanto tempo poderá recuperar e aquilo que aplicou e ter lucro.

Solicite essas informações às empresas que mais interessaram a você e compare-as. O ideal seria encontrar uma franquia com o investimento inicial mais baixo, o tempo de retorno mais curto e a rentabilidade e a lucratividade mais altas. Como será difícil reunir todos esses atributos em uma única empresa, opte por aquele mais relevante.

Por fim, avalie como a franqueadora dá suporte ao franqueado. Esse auxílio, além de ser uma das principais qualidades do modelo de negócio das franquias, pode aumentar muito as chances de sucesso da nova unidade. Pergunte ao responsável pela rede como esse suporte é conduzido, se inclui acompanhamento em outras etapas, além da implantação. Se possível, contate outros franqueados para saber se estão satisfeitos.

6. Como adquirir uma franquia?

Então você já escolheu a sua franquia? Agora é só contatar a empresa formalmente e demonstrar seu interesse. A maioria delas disponibiliza um espaço no site para a candidatura de franqueados. Mas também existem algumas feiras do setor, com diversos expositores, onde é possível cadastrar-se pessoalmente. Feito isso, em pouco tempo você receberá todas as informações sobre o processo seletivo, que varia de uma marca para outra, mas, geralmente, é composto de apresentação, entrevista e análise de perfil.

Então, até 10 dias antes da assinatura do contrato, você receberá a COF. Faça a leitura com cautela e retire todas as dúvidas que restarem, antes de assinar o contrato. Além disso, não se esqueça de conferir a regularidade da empresa, retirando as certidões negativas federal, estadual e municipal. Por fim, busque referências comerciais com possíveis fornecedores e outras empresas que tenham relação com a franquia que você pretende adquirir.

A etapa final é a de assinatura do contrato. Procure um advogado e/ou consultor de sua confiança para conduzir essa etapa de maneira segura.

Agora, que você já conheceu um pouco mais sobre as franquias, aproveite todas as vantagens desse modelo de negócio adquirindo aquela que mais combina com o seu perfil e expectativas. Como sugestão, apresentamos a você a Franquia Casa do Construtor, o primeiro modelo de franquia especializada na locação de máquinas e equipamentos de pequeno porte para a construção civil.

Ela começou suas operações em 1993 e hoje já conta com mais de 200 unidades espalhadas por quase todos os estados brasileiros. Além disso, em 2017, foi eleita mais uma vez entre as 25 melhores franquias do Brasil, segundo levantamento realizado pelo Grupo Bittencourt.

Se você se interessa pelo setor e quer saber como se tornar franqueado, entre em contato conosco!