(ESTENDER + 500 PALAVRAS) Você comete algum desses 8 erros de gestão na sua pequena empresa?

Fazer a gestão de pequenas empresas vai muito além do conhecimento técnico sobre o produto ou serviço oferecido.

Graças à falta de experiência em administração de negócio, muitos empresários cometem falhas relativamente simples, mas que afetam o crescimento da companhia.

Para ajudá-lo a analisar melhor o comando do seu negócio, listamos alguns erros de gestão que são comuns em pequenas empresas e que, infelizmente, podem fazer parte da sua realidade.

Confira o conteúdo abaixo e se identificar alguma atitude que pertence ao seu universo, trate logo de mudá-la, combinado?

1. Não realizar um planejamento

Um dos erros clássicos dos gestores de pequenas empresa é acreditar que não é necessário elaborar um planejamento.

Esse pensamento pode levar a organização, até mesmo, à falência. Afinal, uma empresa, para se tornar consolidada, precisa de planos efetivos e, claro, que estão de acordo com a realidade financeira do proprietário.

Nesse contexto, criar um cronograma de ações, que contemplam os diversos cenários possíveis, e a solução para cada um deles, é a melhor forma de garantir que o seu negócio obtenha sucesso.

Além do mais, ao produzir um planejamento detalhado, você terá mais segurança para colocar em práticas algumas estratégias que serão capazes de alavancar o negócio, garantindo melhores resultados.

2. Esquecer de estudar o mercado

Outra falha grave, que pode resultar em um quadro caótico, é a falta de um estudo de mercado — independente do segmento. Para conseguir se destacar e sair na frente da concorrência, o empresário necessita observar e estudar a área, encontrando formas de sobressair aos demais.

Qual a expectativa para os próximos anos? Quais os principais produtos e serviços oferecidos pelas empresas desse setor? O mercado em questão tem projeção de crescimento ou de retrocesso? O empresário que quer ter êxito precisa responder a todos esses questionamentos.

Vale destacar que, ao ter ciência dessas questões, existe grande chance de você conseguir encontrar o caminho ideal para fazer o seu negócio prosperar, de forma gradual e constante.

3. Não possuir um sistema de gerenciamento

O sistema de gerenciamento ajuda a nortear a empresa e oferece suporte para uma tomada de decisão segura. Dados como volume de produto no estoque, horas extras, ticket médio e faturamento, são exemplos de relatórios encontrados nos softwares.

Mesmo com esses benefícios, muitos empresários optam por não utilizar essas ferramentas, pois acreditam que se tratam de gastos desnecessários, ou por não terem conhecimento sobre as vantagens que o suporte oferece.

Se isso se aplica à sua empresa, é hora de mudar imediatamente. Os sistemas de gerenciamento representam um diferencial estratégico para o negócio e ajudam na percepção dos erros. Encontre aquele com o melhor custo-benefício para sua loja!

4. Ignorar o estoque de mercadorias na gestão de pequenas empresas

O estoque é essencial para o sucesso de uma organização. Quando a empresa possui muitos itens sem rotatividade, significa que existe investimento sem retorno. A perda pode ser ainda maior quando as mercadorias passam da data de validade.

Em contrapartida, quando faltam mercadorias, o lojista perde oportunidades de venda e seus clientes acabam comprando na concorrência. Normalmente, por falta de tempo ou preparo, muitos gestores abdicam do inventário e prejudicam o empreendimento.

Sendo assim, o ideal é ter uma ferramenta adequada para gerenciar seu estoque, realizar uma contagem periódica, manter uma organização padronizada e fazer as compras com base no histórico de vendas e tendências do mercado. O importante, aqui, é encontrar um ponto de equilíbrio.

5. Não ter controle financeiro

O mau gerenciamento financeiro é um dos principais fatores que levam uma empresa a fechar as portas. Controlar o fluxo de caixa, pagar contas dentro do prazo, fazer um planejamento de gastos e investir corretamente são apenas algumas das atribuições.

Pequenas empresas apresentam, como característica, a mistura do patrimônio dos donos com o da própria organização, fator que prejudica o controle apurado do capital.

Também é essencial realizar um cronograma financeiro para o período, a fim de conhecer quais são os compromissos e traçar uma expectativa de retorno. Com isso, o empresário poderá alterar a estratégia quando for necessário e evitar que o caixa feche no negativo.

Ainda nesse aspecto, é importante ressaltar que o empresário deve ter um registro apurado das operações, certificando-se de anotar detalhadamente cada movimentação financeira.

Fato é que ter um controle minucioso das finanças da empresa é fundamental para manter as contas no azul e, consequentemente, conseguir manter o negócio lucrativo.

6. Não estipular o pró-labore

Os proprietários de pequenas empresas acreditam que o correto é verificar o lucro total e dividi-lo para todos os sócios da firma. Entretanto, esse pensamento é equivocado e pode gerar uma situação complicada na organização.

O ideal, nesse contexto, é determinar um pró-labore fixo para cada integrante — que pode ser igual para todos os sócios ou proporcional ao capital investido de cada um. Mas, em hipótese alguma, o proprietário deve utilizar todo o dinheiro que entra na empresa.

É preciso lembrar que o estabelecimento precisa de dinheiro para realizar as suas operações básicas. Assim sendo, o proprietário deve deixar um valor considerável, que será o capital de giro.

Para não ter erro, tenha em mente que o mais indicado é definir um ganho sob o lucro, mas jamais o valor completo. Pois, se assim fizer, existe grande chance da sua empresa não ir para frente.

7. Dispensar o investimento na equipe

O investimento na equipe não se restringe somente a capacitar ou oferecer benefícios para os colaboradores. É preciso distribuir metas e delegar tarefas para descentralizar as atividades e engajar os empregados.

A partir do momento em que o gestor distribui funções para todos, ele consegue administrar melhor o seu tempo, se dedicar a compromissos prioritários e identificar falhas nos procedimentos.

Treinar o grupo é a melhor maneira de oferecer um serviço diferenciado para o cliente, aumentar as vendas e reter os bons profissionais. Tenha um planejamento preciso para os recursos humanos para conquistar resultados expressivos.

8. Não se aprimorar

O gestor deve levar em consideração que o mundo está em constante mudança e para não se tornar obsoleto, tanto a equipe quanto ele próprio precisa reciclar os conhecimentos. E nada melhor do que cursos, palestras e workshops para atualizar os saberes e conhecer tendências, apresentando assim excelência em todos os segmentos da empresa.

Uma dica importante para melhorar a administração do empreendimento é mapear todos os processos internos, com o intuito de identificar oportunidades de melhoria e traçar planos de ação para solucionar os problemas encontrados.

Curtiu o conteúdo e acha que ele pode ser útil para outros amigos e conhecidos? Então, compartilhe o post nas redes sociais e garanta que eles não cometem tais erros de gestão!